REPULSA COLETIVA

Por
Atualizado em: 8 de dezembro de 2017

OS HORRORES DA IMPUTAÇÃO DE CRIMES AO NOSSO ASSOCIADO CORONEL JORGE MARTINS, NO PASSADO, DEVEM MERECER A REPULSA COLETIVA DA POLÍCIA MILITAR, NO PRESENTE.

 

Todos os policiais e bombeiros militares e, destarte, toda a população paranaense, senão a brasileira, absorveram com estupefação as notícias, num passado não muito remoto, dos “horrendos homicídios” cometidos por um oficial da Polícia Militar paranaense, ex-comandante do Corpo de Bombeiros, o nosso Coronel Jorge Martins.

 

A imprensa paranaense e, por extensão, a do Brasil e a do mundo, divulgaram, a portas abertas, a estarreçadora “chacina” de pessoas, cometidas pelo referido oficial, sob a estrita e “competente” disposição de trabalho e de investigação de nossa Polícia Civil, imputando “definitiva e incontestavelmente”, a autoria dos homicídios ao Coronel Martins, “um homem sem escrúpulos e destituído de qualquer sentido de humanidade”, perpetrando os crimes que abalaram a cidade de Curitiba.

 

Imaginemos – mas somente imaginemos – como foram os dias desse bombeiro militar e de toda a sua família, pois, além de todas as acusações “contundentes” da Polícia Civil sobre os crimes praticados, tiveram de suportar a perda de um amado filho, vítima de um assalto, que teria ensejado os tão divulgados “atos de revolta” do referido oficial contra prováveis envolvidos no crime cometido contra o familiar.

 

Preso e execrado pela imprensa, durante longos anos, o processo acusatório foi sendo desenvolvido, mas as imputações de responsabilidade criminal, par e passo, foram descortinando aquilo que, hoje, traça o desenho de incompetência, má formação profissional e profundo sentido de rancor de policiais e investigadores despreparados que, escórias de sua própria instituição, tornaram um homem honesto, amoroso e competente, num CRIMINOSO, merecedor da mais severa punição, com o que se viu, há poucos dias deste findável ano de 2017, na imprensa, frutos dos autos, de que O CORONEL JORGE MARTINS É ABSOLUTAMENTE INOCENTE DE TODOS OS CRIMES A ELE ATRIBUÍDOS.

 

Não nos cabe, nesta nota da nossa Associação da Vila Militar, somente dizer a nosso querido associado e atual Diretor das Colônias de Férias, que sempre estivemos com ele, acreditando em sua inocência, estimulando-o a continuar a viver, com a dignidade e com o amor, que ele faz despertar em todos nós, porque isto, somente isto, não vai fazer-lhe diferença , uma vez que ele sempre soube divisar os amigos que tinha e que sempre estiveram a seu lado.

 

O que nos cabe, à Associação da Vila Militar e a toda a Polícia Militar, e ao Corpo de Bombeiros, e a toda a população do Paraná, e a do Brasil , e à imprensa, e à Polícia Civil, e ao Governo do Paraná, e, porque não dizer, ao mundo todo, é dizer: CIDADÃO CORONEL JORGE MARTINS E FAMILIARES, perdoe-nos a todos  nós, por, de alguma forma, com toda a sinceridade, termos sido cúmplices da sua dor, do seu sofrimento, dos dias e noites infernais que traduziram a vida de todos vocês, porque a negligência profissional, a maldade humana, a falta de moralidade são próprias de nossas próprias falhas pessoais.

Que todos nós possamos, em oração, pedir ao Bom Deus, que o calvário por que sua família passou, não se instale em outras famílias.

 

O apoio que lhe faltou, de alguma forma, seja a forma para que jamais nos esqueçamos de que a solidariedade ainda é o meio mais efetivo de nos tornarmos homens bons e amorosos, sobre todos os aspectos.

 

Hoje, mais do que nunca, em nome de todos os associados da AVM, dizemos-lhe, do fundo do coração: MAIS DO QUE NUNCA, ESTAREMOS SEMPRE JUNTOS!

 

Converse no WhatsApp