Conheça a Fábrica de Confecções da AVM

Por
Atualizado em: 5 de dezembro de 2018

A Fábrica de Confecções da AVM foi fundada em 1969 e, depois de um período crítico, ganhou novos rumos em 2016, na Gestão Coração Miliciano, quando foi constituída em uma empresa com CNPJ próprio, o que permitiu participar de processos licitatórios e diversificar os serviços.

Recentemente, foi realizado um importante investimento no avanço tecnológico, com foco no Planejamento e Controle de Produção (PCP), para buscar excelência na produção, agilidade e inovação. A equipe é composta por 70 funcionários, distribuídos entre corte, costura, bordado, serigrafia e marcenaria. Seis pessoas realizam a avaliação final de cada peça e 34 costureiras trabalham nas três linhas de produção, entre os demais colaboradores.

Uma das funcionárias é a encarregada de produção Marisa Dias, que tem mais de 21 anos de experiência na área, é formada em Gestão de Produção Industrial e pós-graduada em Engenharia de Produção. Foi ela quem propôs uma importante alteração na linha de produção, que passou a ser separada por etapas e setores.

São três etapas: Preparação, Montagem e Acabamento. E quatro setores: Fardamentos (com quatro costureiras para atender exclusivamente a AVMSHOP), Colégios (linha principal para os uniformes dos CPMs e CVMs, que demanda hoje o maior trabalho), Malharia (linha que faz camisetas e agasalhos), e Acabamento Final (quando o produto é passado, dobrado, revisado e etiquetado).

Com a nova linha de produção e os investimentos realizados, o número de processos caiu de 42 para 38, garantindo mais agilidade e eficiência. A melhorias promovidas pela AVM na Fábrica de Confecções incluem:
– Máquina de bolso, que substituiu três costureira, liberando-as para outras demandas e acelerando o processo de produção;
– Máquina fusionadeira, que aplica a entretelas nas peças, substituindo a antiga prensa. A nova máquina gasta 1/10 de energia da anterior, é mais segura e tem mais velocidade;
– Elastiqueira com aparelho para aplicação de faixa lateral, reduzindo em 50% o tempo de trabalho em 50%;
– Passadoria de bolso;
– Novo estoque para tecidos e aviamentos, gerenciamento de controle de estoque para evitar a falta de material;
– Novo setor – Modelagem, sob o comando da profissional Maria Patrícia, que possui experiência de oito anos na área. Um setor exclusivo para criação e desenvolvimento das peças que são fabricadas. A funcionária está transformando em arquivos digitais os moldes físicos antigos, que eram feitos em papel. Além disso, implantou o sistema IDEA, um programa de 360 graus que controla desenvolvimento e custo até a produção final, automaticamente. Este sistema garante uma economia mínima de 10% no corte dos tecidos.

Entre os novos profissionais contratados estão também Alexandre Wagner, formado em Administração e Técnico em Edificações, e Rodrigo Lima, formado em Engenharia de Produção. Eles realizaram um importante trabalho, que otimizou o tempo dentro dos processos, apresentando e reorganizando os setores. O resultado foi uma economia de mais de 10% em insumos e rentabilidade de mais 40% de mão de obra.

Alexandre é da área de controladoria, responsável pelos custos e estoque e possui mais de 10 anos de experiência na área. Ele realizou a migração de planilhas para um sistema de RP que irá auxiliar no controle de toda a movimentação do estoque, poupando tempo e apresentando relatórios precisos.

Rodrigo atua no planejamento e controle de produção, o novo setor que promove o controle de todo o processo, desde a entrada de um pedido até a entrega do produto para o estoque. O PCP visa a produção enxuta, controlando as demandas, evitando desperdício de matéria prima e erro humano. Alguns dados apresentados nesta matéria, inclusive, foram coletados por ele, para uma apresentação de estágio supervisionado.

Converse no WhatsApp